Comunidade ELA - Portugal

___________________ Ponto de Encontro - Esclerose Lateral Amiotrofica - Portugal

GRANDES FIGURAS DA ELA... Dr. Silvio Antônio Zanini, cirurgião plástico crânio-facial, escritor, médico

Este poderia/deveria ser um título, duma pasta do Forum ou do Blog!!!

Transcrevo uma noticia publicada por Professora Dra Vânia de Castro na Comunidade Ela-Brasil. apesar de ser uma nota triste é UM EXEMPLO E DÁ-NOS, - AOS ELAs OU NÃO!,- ENTUSIASMO!!

São Sebastião do Caí - Sexta-Feira, 12 de Junho de 2015 - Hora:19:36

Um dos mais notáveis médicos gaúchos é sepultado no Caí 

Silvio Zanini não foi apenas um grande médico, mas também um cientista reconhecido internacionalmente

Zanini, mesmo doente e em cadeira de rodas, foi incumbido de criar o curso de Cirurgia Craniofacial de um hospital de São Paulo

O doutor Sílvio Zanini, grande médico Porto Alegrense, foi sepultado no cemitério do Caí, na última segunda-feira, 8 de junho. 

Ele era pouco conhecido dos caienses. Foi sepultado na cidade por seus pais serem caienses e a família possuir um jazigo no cemitério local.

O doutor Zanini era filho de Adele Allegretti, nasceu em Porto Alegre e estudou no colégio Júlio de Castilhos até ser internado no Pedro II, no Rio de Janeiro, graças ao apoio de seu irmão Túlio Zanini. Retornando a Porto Alegre, estudou e formou-se em Odontologia.

Entusiasmado pela cirurgia buco-maxilo-facial, ele fez também o curso superior de Medicina, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Com interesse acima da média dos alunos, ele praticava a reconstrução de crânios de cadáveres que ele mesmo fraturava usando um bastão de beisebol. Ele fazia isso escondido, nos porões da faculdade.

Depois de formado ele especializou-se em cirurgia de reconstrução facial com empenho extraordinário. Atendia pacientes pobres e ricos em vários hospitais de Porto Alegre, do país e até do exterior.

Não poupava sacrifícios para aprimorar-se na sua especialidade. Certa vez, vendeu o carro para comprar uma serra óssea, que não existia nos hospitais públicos onde também atuava. Diante da insatisfação dos filhos pela perda do automóvel, ele ensinou que o que importava na vida era o que se é e não o que se tem.

Seu filho Carlos Zanini conta que o pai atendia gratuitamente os doentes pobres e que, além do médico notável que foi, ele se notabilizou também como piloto de avião, corredor de rua e escritor de contos.

Na idade madura, o doutor Zanini sofreu de esclerose lateral, doença que fez com que ele ficasse preso à cadeira de rodas. Ficou impedido de continuar clinicando e de fazer cirurgias.

No entanto, devido ao seu extraordinário conceito como especialista, o doutor Zanini foi convidado a fundar o Serviço de Cirurgia Craniofacial do Hospital de Fissuras e Lesões de São Paulo. Tinha dificuldade até para falar. Para se comunicar, escrevia numa prancheta e emitia grunhidos e, assim, orientou médicos de renome, como Fausto Viterbo e Alcir Giglio, operando centenas de crianças com deformidades craniofaciais congênitas.

Como grande mestre que foi, Sílvio Zanini escreveu livros e artigos sobre a sua especialidade, publicados no Brasil e no exterior. Além dos muitos médicos brasileiros que aproveitaram os seus ensinamentos, grandes especialistas estrangeiros, como o russo Mark Tershakowec e o ítalo-argentino Flavio Sturla também o reconheciam como seu mestre.

Nos seus últimos anos, ele escreveu:
“À noite, na cama, viro e reviro o saco de ossos e músculos atrofiados e inúteis em que se transformou o meu corpo. Procuro acomodá-los para acalmar os latidos ferozes de todas as dores, uma por uma. Quando todas estão quietas, tateio no escuro de meus pensamentos uma memória boa para embalar o meu sono”.

O doutor Silvio deixou enlutados a esposa Nilva, os filhos, Carlos e Lisa, o genro Leandro e os netos Laura, Bruna, Martina e Lorenzo.

A Associação Gaúcha de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial, ao comunicar o falecimento do grande mestre, exaltou a sua contribuição para a medicina informando que ele desenvolveu técnicas que não só simplificaram a cirurgia craniomaxilofacial mas melhoraram os resultados finais para os pacientes.

O avô de Silvio Zanini chamava-se Giacomo Zanini e viveu no Caí, no final do século XIX e início do século XX. Ele era proprietário de uma fábrica de móveis de vime situada na rua Tiradentes, esquina com a General Osório.

Exibições: 226

Responder esta

Respostas a este tópico

É uma notícia triste sim, mas sem dúvida que merece destaque.

RSS

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

Membros

© 2017   Criado por Pedro Monteiro.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço