Comunidade ELA - Portugal

___________________ Ponto de Encontro - Esclerose Lateral Amiotrofica - Portugal

Boa tarde,

A minha mãe recebeu esta semana a carta da segurança social a informar que o pedido de reforma por invalidez tinha sido deferido. Contudo lá refere que lhe foi concedida uma invalidez relativa. Pelo que percebo dos conceitos de invalidez relativa e absoluta é óbvio que um doente com ELA se encontra ou encontrará numa situação de incapacidade permanente e definitiva para toda e qualquer profissão ou trabalho, independentemente do estado do doente aquando da junta médica. De maneira que não percebo porque não lhe foi concedida a invalidez absoluta??? Há alguém aqui na comunidade na mesma situação?

Cumprimentos

 

Exibições: 12597

Responder esta

Respostas a este tópico

RAQUEL BOA NOITE, AGRADEÇO QUE ME MANDE OS ELEMEMTOS DA SUA MÃE, POIS TEMOS E DECRETO LEI 90.2009, MESMO PARA OS DOENTES COM ELA, ALÉM DISSO ANDO NUMA RECOLHA DE DOENTES COM RENDIMENTOS BAIXO, PORTANTO MANDE O NOME COMPLETO DA MÃE NO. B.I CONT. E NO. SEG. SOCIAL E A MORADA. TUDO ISTO PARA O MAIL DA APELA. ............. apela.geral@sapo.pt,  EU FAÇO PARTE DA DIRECÇÃO DA APELA. DEPOIS VEREMOS COMO SE ENCONTRA A SITUAÇÃO DE SUA MÃE, UM ABRAÇO PARA AS DUAS

Conceição já enviei o mail. Obrigada

Olá Raquel

O meu marido encontra-se na mesma situação que a sua mãe.Foi reformado este ano em Julho por invalidez tambêm relativa. A lei diz que, a invalidez absoluta é só para os doentes já acamados.Mesmo achando que estes doentes já estão incapacitados para fazer o quer que seja as leis não são como deveriam ser verdadeiras,O meu marido já está dependênte para tudo, sou eu a cuidadora dele,Se ainda não  entregou o pedido do decreto lei 90/2009 faça assim que poder pois vale a pena, eu filo logo a seguir ele ter sido reformado e já foi deferido, estou á espera de o começar a receber.Sempre que precisar de algo disponha, estamos aqui todos no mesmo barco paro o que for preciso

beijsssssssssss

 

 

Olá Celeste

O problema é que a minha mãe já está acamada e já estava aquando da junta médica (foi no domicilio)! Neste momento ela já só consegue mexer a cabeça e mal. A neurologista escreveu um relatório para a Segurança Social onde diz especificamente que a minha mãe se encontra tetraplégica, traqueostomizada e com PEG e que está totalmente dependente de outra pessoa. Por isso é que não percebo porque é que mesmo assim só lhe foi concedida uma invalidez relativa. Enfim, lá vou ter eu de ir novamente à Segurança Social pedir apenas aquilo a que ela tem direito.

Beijinho

Boa Noite Raquel,

Li o que escreveu sobre Invalidez Relativa e Absoluta e quero dizer-lhe que tive uma luta imensa com a junta medica, para que fosse dada ao meu marido a incapacidade absoluta e permanente. Chegamos a ir tres vezes á Junta Médica...isto tem tudo haver com o conhecimento dos medicos da junta medica sobre esta doença.

Eu insisti bastante, cheguei a levar documentação sobre a doença e entreguei á medica da Junta Médica para ela ler, mas o essencial é mesmo o teor do relatorio médico do medico assistente. È muito importante pedir no Hospital onde a sua mãe é tratada, um relatorio medico ao Neurologista e pedir-lhe que especifique bem que a ELA é 100% incapacitante e que o doente não tem nunca hipotese de melhoria, com este relatorio na mão, volte a pedir  a junta médica e insista que lhe seja dada incapacidade absoluta. 

Nós ao fim de tres tentativas conseguimos a Incapacidade permanente e absoluta com 95% de incapacidade.

Eu não sei muito bem ...mas suponho que a questão da invalidez absoluta ou relativa não tem nada a ver com a reforma, são coisas separadas, até porque o meu marido ainda não esta reformado.

Disponha sempre, um abraço

pois é Raquel, é assim!Só quando a depêndencia é total é que se recebe o apoio da 3ª pessoa integral. é só parcial até lá.

De resto não percebo quando fala da pensão por invalidez ser absoluta! porque na pensão por invalidez não ha esse lado.

Onde existe dois valores é no Complemento à 3ª pessoa...

Mas fiquei MUITO surpreendida com o que a Celeste disse de já o Complemento da Lei 90/2009 já ter sido atribuida ao marido e eu que meti o requerimento em 3 dezembro 2009 e com sucessivos reforços ao longo do ano de 2010 e telefonemas e todos os etceteras por aí fora........nem uma palavra nem um sinal verde nem de cor nenhuma! eu não consigo entender :( não consigo mesmo......... Conceição mas afinal o que se passa com o dito complemento??????????????? ainda por cima é sabado .....só 2ª feira poderei para lá telefonar.....caramba de p...... de vida

Maria José, pelo que li no site da Seg. Social (o link é http://www2.seg-social.pt/left.asp?03.02.01) de acordo com a incapacidade do doente a invalidez pode ser relativa ou absoluta e os valores das pensões são diferentes.

Quanto ao complemento foi a própria Segurança Social que me enviou o impresso para eu preencher porque em Santo Tirso só aceitavam o pedido depois da minha mãe estar reformada (até por isso não percebo.. vêm que ela está numa situação de dependência que até me enviam o impresso mas depois não concedem a invalidez absoluta..Enfim, é o país que temos..)

raquel vai ao forum e vê o que Carla Reigada lá colocou!!!!

Nós até temos TUDO aqui na Comunidade!!!! eheheheh

http://noseela.ning.com/forum/topics/espaco-de-respostas-sociais

 

bom domingo!

Já agora tens direito a reclamar sobre a relatividade da tua mãe!

isto porque na atribuição do Complemento de 3ª pessoa isso faz TODA a diferença!!!

Porque não ha ideia da junta ter ido ao domicilio e dizerem que é relativo!! Contacta com a CArla Reigada que está ai no norte a trabalhar e é Assistente Social!

jinhos

Boa noite Raquel,

Com o  meu marido aconteceu receber uma carta da segurança social  a dar-lhe a pensão por invalidez relativa onde vinha o valor a que tinha direito.Falei para a caixa onde me foi dito que a reforma por invalidez relativa significa que o meu marido ainda poderá voltar ar a trabalhar!!!!!!!!! 2 dias depois recebe outra carta, onde lhe retiram a reforma por invalidez e o passaram para reformado por idade e com um valor mais baixo..........quanto  ao  valor do complemento à 3 pessoa não foi alterado.

O meu marido foi  a 2 juntas médicas na 1º deram-lhe 65%  de incapacidade, mas a médica dele não aceitou e disse para pedirmos outra, assim foi feito.

Na 2ª junta médica chamámos a atenção de que a ELA é 100% incapacitante (conforme vem escrito pelo  Neurologista  no relatório) a resposta foi de que 100 % é uma pessoa morta e desta vez deram-lhe 85% e sem  direito a nova avaliação.

Esta semana devermos ir á segurança social, se houver novidades aqui as deixaremos.

Beijinho

 

 

Boa tarde,

Fui hoje à Segurança Social aqui em Santo Tirso e a resposta que me deram é que agora era quase impossível darem a invalidez absoluta mas que isso também não fazia diferença. O valor da reforma e os direitos dela são os mesmos quer tenha a invalidez relativa ou absoluta.

Também me informaram que quase de certeza que relativamente ao complemento não lhe seria concedido o 2º grau apesar de ela já estar 100% dependente de mim para tudo.

Com vocês aconteceu o mesmo? Não sei o que hei-de fazer.

Quanto ao decreto lei 90.2009 não sei ela já se encontra abrangida ou não. Como se pode ter a certeza?

 

Obrigada

Beijinhos

 

Olá!

 

Eu acho que não existe uma diferença significativa entre uma e outra em termos da remuneração base. Pelo que intendi, peço para me corrigirem se estiver errado, a invalidez relativa para quem pode exercer algum trabalho tem mais benefícios na medida em que a pessoa pode acumular à pensão até 100% do ordenado que pagava a sua entidade patronal.

Quanto ao complemento de dependência, a sua mãe está em conformidade para que lhe seja atribuído o 1º grau porque está acamada.
Bem não sei se estou cometendo erros, se for o caso disso ignorem este comentário.


 

Cumprimentos.

RSS

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

Membros

Sobre

© 2014   Criado por Pedro Monteiro.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço